FAQs

Aqui você encontra as respostas para suas dúvidas sobre os produtos da Greiner Bio-One. 

As FAQs (Frequently Asked Questions, em português Perguntas Frequentes) facilitam seu trabalho diário com os produtos da Greiner Bio-One. Aqui estão descritos os procedimentos de utilização corretos, além de trazer dicas importantes sobre como evitar erros.

Para pesquisar, basta usar a opção de busca para encontrar a resposta correta para sua pergunta ou navegue pelas categorias de produtos para saber mais.

A página de FAQs é atualizada constantemente com as perguntas dos clientes e as respostas dos especialistas da Greiner Bio-One.

Se não conseguir encontrar uma resposta para sua pergunta, basta enviá-la para nossa equipe usando o formulário.

Você será notificado por e-mail assim que a resposta for publicada na página.

Será uma grande satisfação ajudar.

Nenhuma FAQ encontrada!
Resposta:

Os produtos médico hospitalares da Greiner Bio-One tem um código GMDN (Nomenclatura Global de Dispositivos Médicos) e EDMA (Associação Europeia de Produtores de Diagnósticos) que deve ser indicado no credenciamento da União Europeia.

Resposta:

Os tipos de classificação são:

- EDMA (Associação Europeia de Produtores de Diagnósticos)

- GMDN (Nomenclatura Global de Dispositivos Médicos)

Resposta:

As microplacas µClear® de 96 poços e as microplacas µClear® de 384 poços têm um fundo com espessura de 190 μm ± 10%.

A microplaca de 1536 poços com fundo transparente μClear® tem fundo com espessura de 75 μm ± 10%. 

As microplacas UV-Star® geralmente têm um fundo com espessura de 135 μm ± 10 μm.

Resposta:

Não é recomendado usar placas tratadas para cultura celular (microplacas tratadas / microplacas Cellstar®) nos ELISAs (Ensaios de Imunoabsorção Enzimática). O tratamento para cultura celular (tratamento TC) de poliestireno cria superfícies altamente carregadas e com grande afinidade a todos os tipos de proteínas polares. Portanto, o fundo não específico em microplacas tratadas para cultura celular é difícil de controlar. Além disso, a capacidade de nossos produtos imunológicos (Microlon®) de ligar proteínas de forma consistente e reproduzível é constantemente verificada em nosso laboratório de controle de qualidade através do ELISA.

Resposta:

As microplacas feitas de poliestireno não suportam as altas temperaturas do processo de autoclave (a estabilidade térmica especificada do poliestireno é de -20 °C a +60 °C).

 

As microplacas feitas de polipropileno têm uma maior tolerância à temperatura (o intervalo de temperatura especificado do polipropileno é de -196 °C a +121 °C). 

 

Todas as microplacas devem ser usadas uma única vez e a autoclave não é recomendada, dado que pode influenciar suas estritas dimensões físicas e tolerâncias.

 

Além disso, a maioria de nossas microplacas também estão disponíveis em uma versão esterilizada, de modo que a autoclave não é necessária.

Resposta:

As microplacas brancas normalmente são usadas para medições de luminescência, enquanto as microplacas pretas são usadas para medições de fluorescência. As propriedades críticas nesses métodos, como o fundo, a autofluorescência ou a interferência, são consideravelmente melhoradas pelo uso das microplacas com pigmentação branca ou preta.

Resposta:

As microplacas de 96 poços estão disponíveis com poços de diferentes designs:

 

Fundo V: V significa um fundo de poço cônico. Essas microplacas são ideais para aplicações em que o volume inteiro da amostra deve ser pipetado.

 

Fundo U: U significa um fundo com formato redondo. As microplacas com fundo U são ideais para testes de aglutinação.

 

Fundo F: F vem de “flat” (plano ou chato, em inglês), que significa que o fundo dos poços é plano. Esse tipo de poço é ideal para medições ópticas precisas. Nesse caso, a fonte de luz de medição não sofre desvios por conta do perfil do poço.

Resposta:

As microplacas µClear® são microplacas de fundo transparente com uma fina camada de poliestireno no fundo (190 µm +/- 20 µm para formatos de 96 e 384 poços e 75 µm +/- 10 µm para o formato de 1536 poços).

 

As microplacas µClear® costumam ser usadas em ensaios baseados em células, já que permitem o monitoramento microscópico do crescimento da célula. Além disso, as microplacas µClear® têm uma maior sensibilidade, chegando a 340 nm por conta da redução do fundo nas medições de transmissão.

Resposta:

Sim! Para determinar concentrações de proteína e ácido nucléico a 260 nm ou 280 nm sem interferência de fundo, as microplacas UVStar® são uma alternativa ideal às cubetas ou microplacas de vidro de quartzo, que costumam ser frágeis e caras. 

 

Disponibilizamos diferentes tipos de microplacas UVStar®:

 

- Microplacas UVStar® padrão com 96 poços  (item nº 655 801)

- Microplacas UVStar® de meia área e com 96 poços  (item nº 675 801)

- Microplacas UVStar® com 384 poços  (item nº 781 801)

Resposta:

A microplaca item nº 784080 é uma microplaca Small Volume™ branca com 384 poços, fundo sólido, tratada para cultura celular, esterilizada e com tampa. A placa não tem uma película transparente, pois é uma microplaca de fundo sólido. As microplacas Small Volume™ com fundo transparente (µClear®) estão disponíveis em um design de base baixa (= referências começando por 788 ...) Por exemplo, referência 788 093 = 384 poços, branca, Small Volume™, µClear®, tratada para cultura celular, esterilizada e sem tampa. 

A diferença entre Small Volume™ nos designs LoBase (base baixa) e HiBase (base alta) é a altura da placa (Small Volume™ HiBase = 14,4 mm / Small Volume™ LoBase = 7,5 mm) e a posição dos poços.

Você pode fazer o download dos desenhos de ambas as placas em nossa página na internet. 

As consultas relativas a preços serão respondidas por nossos distribuidores e subsidiárias espalhados em diversos países.

Resposta:

Não temos placas com fundo de vidro e 48 poços em nosso portfólio de produtos, mas as seguintes placas com fundo de vidro (Sensoplates™) estão disponíveis na Greiner Bio-One GmbH:

 

Microplacas com fundo de vidro e 24 poços 

Item nº662892, Microplacas com fundo de vidro, 24 poços, com tampa e embalada individualmente.
Item nº 662896, Microplacas com fundo de vidro, 24 poços, sem tampa e embalada individualmente.

Microplacas com fundo de vidro e 96 poços

Item nº 655892, Microplacas com fundo de vidro, 96 poços, com tampa, esterilizada e embalada individualmente.
Item nº 655896, Microplacas com fundo de vidro, 96 poços, sem tampa, esterilizada e embalada individualmente. 

Microplacas com fundo de vidro e 384 poços

Item nº 781892, Microplacas com fundo de vidro, 384 poços, com tampa, esterilizada e embalada individualmente.
Item nº 781896, Microplacas com fundo de vidro, 384 poços, sem tampa, esterilizada e embalada individualmente.
Item nº 781856, Microplacas com fundo de vidro, 384 poços, base extra baixa, sem tampa, esterilizada e embalada individualmente.

Microplacas com fundo de vidro e 1536 poços 

Item nº 783892, Microplacas com fundo de vidro, 1536 poços, com tampa, esterilizada e embalada individualmente.
Item nº 783896, Microplacas com fundo de vidro, 1536 poços, sem tampa, esterilizada e embalada individualmente.
Item nº 783856, Microplacas com fundo de vidro,1536 poços, base extra baixa, sem tampa, esterilizada e embalada individualmente.

Resposta:

Para o produto nº 781 182, o volume recomendado é entre 10 e 130 µl, dependendo dos requisitos e das aplicações do cliente.

Você pode encontrar informações mais detalhadas sobre a maioria dos produtos nos Desenhos e Fichas Técnicas no nosso website, basta pesquisar pelo número do item referente no catálogo de produtos.

Resposta:

Esses produtos são esterilizados por radiação ionizante com um Nível de Segurança de Esterilização (SAL) de 10-3. A validação da dose de radiação está em conformidade com EN 552, ISO 11137, ANSI/AAMI ST31/ST32.

Resposta:

Se a esterilização não for um requisito para o ensaio, podem ser usadas as placas de média ligação não tratadas. 

Se o ensaio precisar ser realizado sob condições estéreis, deve-se usar placas esterilizadas. Se não houver uma microplaca esterilizada especial em nosso catálogo de produtos, por exemplo, no caso das microplacas de fundo sólido branco ou preto, recomendamos que você use as placas de alta ligação, já que elas são esterilizadas devido ao próprio tratamento de alta ligação.

Resposta:

 

Código do produto

Descrição

Material

Rotor com caçapas móveis [x g]

Rotor de ângulo fixo [x g]

186 1xx

15 ml, fundo redondo

poliestireno

2.000

2.500

188 1xx

15 ml, fundo cônico

poliestireno

2.500

4.500

188 2xx

15 ml, fundo cônico

polipropileno

4.000

15.000

210 2xx

50 ml, fundo cônico, com suporte

polipropileno

2.800

11.500

227 261,
-270

50 ml, fundo cônico

polipropileno

3.200

17.000

227 281,
-285

50 ml, fundo cônico

polipropileno

3.200

9.500

227 280,
-283
50 ml, fundo cônicopolipropileno3.2009.000

Aviso de isenção de responsabilidade: 

Os valores máximos de RCF (Força Centrífuga Relativa) declarados são somente para referência, pois dependem de diversos fatores, como o rotor, a temperatura, a densidade, o pH e o tipo de líquido. A adequação dos tubos para uma aplicação específica usando altas forças de centrifugação deve ser testada.

Resposta:

Os frascos rollers de PET NÃO PODEM ser enviados por avião. Eles são sensíveis a mudanças na pressão atmosférica e podem implodir, caso a cabine perca pressão. Já os frascos de poliestireno podem ser enviados por avião.

Resposta:

A Greiner Bio-One oferece vários produtos para cultura celular e de tecidos: 

1. Produtos CELLSTAR®: Esses produtos podem ser usados para cultura celular e de tecido no geral. Para facilitar o cultivo de células aderentes, oferecemos um tratamento para a superfície física próprio da Greiner Bio-One. Esses produtos são referidos como “com tratamento para TC”. 

2. Produtos CELLCOAT® revestidos com proteína: Para o cultivo de células sensíveis, bem como para configurações experimentais específicas, a Greiner Bio-One oferece recipientes de cultura celular revestidos com proteína. A superfície desses recipientes é revestida com proteínas da matriz extracelular, bem como por polipeptídeos sintéticos. Estão disponíveis os seguintes revestimentos proteicos:

 - Poli-D-lisina 

 - Poli-L-lisina 

 - Colágeno I 

 - Laminina 

 - Fibronectina

Resposta:

Sim, a baixa resistência básica da membrana dos insertos para cultura celular ThinCert™ garante excelente desempenho nas medições TEER.

Resposta:

Em muitos casos os melhores resultados para culturas organotípicas têm sido obtidos com insertos celulares ThinCert™ com  0.4 µm e 1.0 µm. Algumas vezes, poros de 3.0 µm foram utilizados de maneira bem-sucedida. 

Resposta:

Por conta de sua baixa absorção de proteína, as membranas PET são extremamente adequadas para estudos de transporte. Para esse tipo de aplicação, os poros da membrana devem ser pequenos o suficiente para evitar a passagem das células pela membrana. Os insertos para cultura celular ThinCert™ com poros de 0,4 µm e 1,0 µm atendem a esses critérios. Em geral, membranas com poros de alta densidade (translúcidas) oferecem resultados melhores do que as membranas com poros de baixa densidade (transparentes).

Literatura interessante:

Bartholomé K, Rius M, Letschert K, Keller D, Timmer J, Keppler D. Kopplow K, Letschert K, Konig J, Walter B, Keppler D. 

Data-Based Mathematical Modeling of Vectorial Transport across Double-Transfected Polarized Cells. 

Drug Metab Dispos. Setembro de 2007;35(9):1476-81. 

Kopplow K, Letschert K, Konig J, Walter B, Keppler D.

Human hepatobiliary transport of organic anions analyzed by quadruple-transfected cells. 

Mol Pharmacol. Outubro de 2005;68(4):1031-8. 

Epub 26 de julho de 2005. 

Letschert K, Faulstich H, Keller D, Keppler D.

Molecular characterization and inhibition of amanitin uptake into human hepatocytes. 

Toxicol Sci. Maio de 2006;91(1):140-9. Epub 22 de fevereiro de 2006. 

Letschert K, Komatsu M, Hummel-Eisenbeiss J, Keppler D.

Vectorial transport of the peptide CCK-8 by double-transfected MDCKII cells stably expressing the organic anion transporter OATP1B3 (OATP8) and the export pump ABCC2. J Pharmacol Exp Ther. Maio de 2005;313(2):549-56. 

Epub 21 de janeiro de 2005. 

Mettlen M, Platek A, Van Der Smissen P, Carpentier S, Amyere M, Lanzetti L, de Diesbach P, Tyteca D, Courtoy PJ. 

Src triggers circular ruffling and macropinocytosis at the apical surface of polarized MDCK cells. 

Traffic. Maio de 2006;7(5):589-603.

Resposta:

A espessura da membrana dos  insertos ThinCert™ para cultura celular é graduada de acordo com o tamanho dos poros integrados. A espessura é de: 22,6 µm para poros de 0,4 µm, 22 µm para poros de 1,0 µm, 20 µm para poros de 3,0 µm e 15 µm para poros de 8,0 µm.

Resposta:

As membranas transparentes possuem poros com densidade mais baixa em comparação com as membranas translúcidas. A diferença de densidade dos poros também causa mudanças na aparência visual. As membranas transparentes são otimizadas para microscopia de luz.

Resposta:
  • O PET está bem estabelecido como um substrato para culturas celulares.
  • Além disso, ele é altamente resistente contra a maioria dos solventes orgânicos. Quando retirada da caixa do inserto, a membrana PET não enrola. Por conta de sua alta resistência a solventes e por manter sua forma inalterada (sem enrolar), a membrana dos insertos para cultura celular ThinCert™ é perfeitamente adequada para o processamento posterior, por exemplo, imuno-histoquímica. >
  • O PET apresenta uma absorção proteica muito baixa. Desse modo, os insertos para cultura celular ThinCert™ são uma opção excelente para estudos de transporte e captação.
Resposta:

A membrana de poros capilares dos insertos para cultura celular ThinCert™ é feita de PET (Polietileno Tereftalato).

Resposta:

A geometria suspensa dos insertos para cultura celular ThinCert™ assegura que seja mantida uma distância entre a parte interna do inserto e a parte de baixo do poço, evitando assim qualquer dano às células do compartimento inferior durante experimentos de cocultura. Além disso, os espaçadores nas bordas do inserto evitam qualquer contato indesejado entre o inserto e a parede do poço.

Resposta:

A abertura maior para acesso das pipetas fica no lado oposto da borda mais larga do inserto para cultura celular.

Resposta:

A posição excêntrica dos insertos para cultura celular ThinCert™ oferece uma abertura maior conveniente para o acesso das pipetas, facilitando a troca do meio da cultura.

Resposta:

As dimensões externas estão em conformidade com as normas ANSI, tornando o frasco adequado para uso em diversos sistemas de manipulação de líquido e cultura celular.

Resposta:

A poli-D-lisina e a poli-L-lisina são enantiômeros e diferem na disposição esférica dos átomos na molécula. Ambos os revestimentos melhoram a aderência das células in vitro. A poli-L-lisina, ao contrário da poli-D-lisina, se degrada na presença de proteases celulares.

Resposta:

O item nº 633180 é uma placa de Petri para bacteriologia e não é adequada para cultura celular. Como essa placa não tem uma superfície tratada, a adesão das células não acontece. Além disso, produtos para cultura celular, como o item nº 633171 são esterilizados e constantemente verificados quanto a citotoxicidade e ausência de RNase, DNase, DNA humano e endotoxina.

Faça o download do PDF:  Certificado de Qualidade

Resposta:

O polipropileno tem como diferencial sua resistência a altas temperaturas e alta resistência a processos químicos e mecânicos.

Resposta:

O poliestireno tem como diferencial a alta transparência. Por isso, é adequado para todas as aplicações que exigem uma boa visibilidade.

Resposta:

Nossas placas de Petri para bacteriologia, como o item nº  663 102 ou 664 102 não são livres de pirogênio. Já as nossas placas para cultura celular CELLSTAR® são livres de pirogênios, por exemplo, o item nº 664 160 (100 x 20 mm). No webiste ou no catálogo, nossos produtos livres de pirogênio são indicados por um sinal. O limite de detecção para pirogênios é ≤ 0,06 EU/ml.

Resposta:

As placas de Petri com compartimentos servem para trabalhar com diferentes sistemas de ágar.

Resposta:

Por causa da resistência ao calor, a versão mais pesada da placa de Petri serve para aplicações com ágar em sua forma líquida quente.

Resposta:

A vida útil das placas de Petri abrange quatro anos para as variantes com tratamento para TC e cinco anos para as esterilizadas, mas não tratadas. A vida útil do produto é indicada no rótulo externo da caixa (ampulheta) e também aparece na embalagem dos produtos para cultura celular.

Resposta:

Sim, o poliestireno com paredes finas é permeável a gás.

Resposta:

A faixa espectrofotométrica das cubetas de poliestireno semimicro e macro fica entre 370 e 750 nm.

Resposta:

A tampa baioneta pode ser aberta com um pequeno giro (1/3) da tampa, enquanto a tampa de rosquear é aberta por um giro simples.

Resposta:

A tampa ventilada de duas posições tem duas funções:

1. Quando fechada levemente, ela possibilita a ventilação uniforme do conteúdo do tubo.

2. Quando a tampa é pressionada até o final firmemente, o tubo fica fechado hermeticamente.

Resposta:

A graduação dos tubos de polipropileno de 15 ml (177 xxx) e 50 ml é precisa num intervalo de tolerância de +/- 2%.

Resposta:

Os tubos de centrifugação e outros produtos de poliestireno não podem passar pela autoclave. O poliestireno suporta temperaturas entre -20 °C e +60 °C. Os produtos de poliestireno irão se deformar por conta da alta temperatura (+120 °C) durante o processo de autoclave. 

Resposta:

Sim, os seguintes tubos de policarbonato estão disponíveis

 

 
Código do produto
Dimensões Volume Característica adicional
160 501 16,0 x 100 mm 12 ml  Fundo redondo
172 501 16,5 x 103 mm 13 ml  Fundo cônico
169 501 16,0 x 152 mm 20 ml  Fundo redondo
Resposta:

As forças centrífugas máximas dependem do tipo de rotor e estão especificadas a seguir:

 

 
Descrição do produto
Código do produto Rotor de ângulo fixo da RCF máx. [g] Rotor com caçapas móveis de RCF máx. [g]
Tubo de polipropileno 15ml 188xxx 15.000 4.000
Tubo de polipropileno 50ml 210xxx 11.500 2.800
Tubo de polipropileno 50ml 227xxx 9.500 3.200
Resposta:

A Greiner Bio-One não oferece rack especial para o item 187262. Recomendamos que você use uma rack de padrão de tubos para este produto.

Resposta:

Todos os laboratórios que manipulam agentes e materiais biológicos potencialmente perigosos e geram lixo contendo tais agentes são responsáveis pela separação, embalagem e tratamento do resíduo laboratorial antes da remoção e descarte. 

A Greiner Bio-One, como fornecedora de materiais de plástico descartáveis, não pode indicar o descarte apropriado, sendo este dependente da aplicação do cliente e dos regulamentos específicos do país. Todos os materiais descartáveis de plástico da Greiner são de uso único e não podem ser reciclados. 

Busque as recomendações universais para o descarte de lixo biológico: 

 

Lixo biológico inclui:

  • líquidos como os materiais de cultura celular, sobrenadantes, sangue ou frações de sangue (soro) etc., que contenham agentes biológicos viáveis; 
  • materiais considerados patológicos, inclusive qualquer parte do corpo humano, tecidos ou fluidos corporais, mas exceto fluidos, dentes extraídos, cabelo, unhas e afins que não sejam infecciosos; 
  • qualquer parte de um animal infectado (ou suspeito de estar infectado) por uma doença contagiosa; 
  • resíduos laboratoriais sólidos e não perfurocortantes (frascos de plástico para cultura celular vazios e placas de Petri, tubos de plástico vazios, luvas, invólucros, tecidos absorventes etc.) que estejam contaminados ou possam transmitir contaminação por agentes biológicos viáveis; 
  • todos os itens perfurocortantes e pontiagudos usados em atendimentos médicos, diagnóstico e pesquisa, inclusive a manipulação e tratamento de animais de laboratório, os quais devem ser considerados potencialmente infecciosos; 
  • utensílios de laboratório de vidro que estejam ou possam estar contaminados por agentes biológicos perigosos. 

Além dos requisitos de embalagem gerais, deve-se seguir também os requisitos específicos para o descarte de lixo biológico: 

 

 

a) Líquidos contendo agentes que apresentam risco biológico

  • Deposite os líquidos em recipientes à prova de vazamento, como frascos ou garrafas. 
  • Deve-se usar recipientes de descarte de líquido próprios para suportar temperaturas de autoclave quando for realizada a esterilização por vapor. Para possibilitar a equalização da pressão, eles não devem ser vedados. 

 

b) Sólidos contendo agentes que apresentam risco biológico 

  • Resíduos laboratoriais sólidos e não perfurocortantes (frascos de plástico para cultura celular vazios, tubos de plástico vazios, luvas, invólucros, tecidos absorventes etc.) que estejam ou possam estar contaminados por agentes biológicos viáveis devem ser depositados em sacos resistentes ao processo de autoclave.  

 

c) Esterilização e desinfecção 

  • Autoclave (esterilização por vapor) é o método preferencial (e geralmente considerado o mais confiável) para esterilizar lixo biológico. Dependendo do volume de lixo a ser esterilizado, pode ser preciso prolongar o tempo de exposição ao vapor de alta temperatura sob pressão. 
  • A esterilização por vapor normalmente não é recomendada para resíduos laboratoriais contaminados ou contendo uma combinação de agentes biológicos viáveis e quantidades significativas de materiais químicos ou radioativos.   
  • Os recipientes de descarte de líquido devem ser colocados em uma bandeja ou forma autoclavável com capacidade suficiente para conter todo o líquido em caso de quebra ou vazamento do recipiente dentro da câmara de autoclave. Tenha muito cuidado ao manusear líquidos autoclavados, pois eles estarão extremamente quentes e podem derramar. 
  • As bolsas de resíduos sólidos resistentes à autoclave devem ser fechadas, mas não hermeticamente vedadas, já que devem possibilitar a penetração do vapor antes de serem colocadas na câmara de autoclave.
Resposta:

A capacidade de centrifugação máxima dos tubos de polipropileno item nº 187 261 é:  

  • Rotor com caçapas móveis: máx. 4800 RCF 
  • Rotor de ângulo fixo: máx. 34000 RCF
Resposta:

Os tubos de polipropileno (188 271) permitem a entrada de raios UV. Para armazenar amostras sensíveis à luz ou aos raios UV, a Greiner Bio-One oferece os chamados “tubos de proteção contra a luz”.

Resposta:

Não é recomendado usar placas tratadas para cultura celular (microplacas tratadas para TC/microplacas CELLSTAR®) nos ELISAs (Ensaios de Imunoabsorção Enzimática). O tratamento para cultura celular (tratamento para TC) de poliestireno cria superfícies altamente carregadas e com grande afinidade a todos os tipos de proteínas polares. Portanto, o fundo não específico em microplacas tratadas para cultura celular é difícil de controlar. Além disso, a capacidade de nossos produtos imunológicos (MICROLON®) de ligar proteínas de forma consistente e reproduzível é constantemente verificada em nosso laboratório de controle de qualidade através do ELISA.

Resposta:

As superfícies de poliestireno de alta ligação são hidrofilizadas usando um método especial de tratamento físico. Elas apresentam uma maior capacidade de ligação para moléculas polares. 

A superfície de poliestireno de uma microplaca de média ligação é mais hidrofóbica do que a superfície de uma microplaca de alta ligação e, portanto, mais adequada para moléculas não polares.

Resposta:

A Greiner Bio-One oferece microplacas com dois formatos de fundo F (planos) diferentes: o fundo F padrão e o fundo F Chimney Well. O half area tem o mesmo formato de fundo F padrão, mas o tamanho do poço é reduzido, diminuindo o volume da amostra em 50%.

 

Fundo F padrão:

- Volume total: 382 µl 

- Volume de trabalho: 25 - 340 µl 

 

Fundo F - Chimney Well: 

- Volume total: 392 µl 

- Volume de trabalho: 25 - 340 µl 

 

Fundo F - Half Area: 

- Volume total: 199 µl 

- Volume de trabalho: 15 - 175 µl

Resposta:

As placas LUMITRAC™ são microplacas brancas. As placas FLUOTRAC™ são microplacas pretas. Como o ensaio foi desenvolvido em placas brancas de alta ligação (LUMITRAC™ 600 de 96 poços), nossa recomendação seria mudar para as microplacas LUMITRAC™ de 384 poços brancas. Recomendamos as placas LUMITRAC™ 600 (item 781074), que são microplacas brancas de alta ligação e 384 poços.

Resposta:

Sim, as microplacas UV-Star® da Greiner (655801, 675801 e 781801) são compatíveis com o leitor de microplacas Varioskan, dado que elas têm a base uniforme em conformidade com o Instituto de Padronização Americano (normas ANSI/SBS 1-2004). Informações detalhadas para o cliente com todas as dimensões necessárias para a configuração de um novo arquivo de definição de placa podem ser baixados em nosso site www.gbo.com/bioscience, no número do item equivalente.

Estes são os arquivos PDF com as informações para os clientes:

- 655801

- 675801

- 781801

Resposta:

The 96 well µClear®microplates and 384 well µClear®microplates have a film thickness of 190 µm +/- 10%. In the 1536 well microplate with a transparent bottom (µClear®) the film thickness is 75 µm +/- 10%. UV-Star® microplates generally have a film thickness of 135 µm +/- 10 µm.